sexta-feira, 10 de abril de 2009

Na asa de um avião

Parece que foi ontem que andei de avião pela primeira vez. A emoção de descolar, sentir a trepidação durante o voo, olhar pela janela e ver o mundo com outros olhos! Se eu pudesse oferecia uma viagem a todos aqueles que quisessem voar!
Para quem não sabe, voar é uma coisa bastante fácil. Basta termos asas. Eu explico. O ar que passa nas asas divide-se em duas partes, uma passa por cima e cria uma depressão, a outra por baixo que dá sustentação. O melhor exemplo é soprar numa folha. Não vou dar mais termos técnicos porque acho que não é assim tão importante. O que é importante é a sensação em si.
Hoje voei sem sair de casa. Vi as fotos que guardo no computador e parecia que estava em casa. Chorei, ri e cantei enquanto bebia cerveja e fumava cigarros. A tarde parecia não acabar. Quem me dera estar com os meus amigos para partilhar estes momentos.
Percebi que não vou viver para sempre, e é realmente uma pena. Logo agora que eu estava a apreciar a vida!
Para quem me conhece, sabem que não desejo mal a ninguém, vê-se logo pelo meu sorriso quando alguém me dirige a palavra, mesmo que não conheça a pessoa. Um dia espero voltar e reencontrar os sorrisos que me fazem chorar de alegria.
O meu sonho continua. Voar, cada vez mais alto, e se cair a pique, não faz mal, desde que tenha um bom pára-quedas. Porque voar é a melhor sensação do mundo…
O tempo voa, e nós voamos com ele.

3 comentários:

transistorizado disse...

Espada voa alto e longe e nao olhes para trás, só para baixo ;) para veres a big picture dai de cima!!!

MDC disse...

Voar... para nós terrestres... é acrescentar outra forma de estar no mundo aquela que já conhecemos! É somar sensações e pontos de vista... Quando queremos, voltamos à terra, e chegamos mais ricos (dentro do peito), mais conhecedores, mais atentos, com mais amigos e novas experiências para juntar às que já tínhamos! É tudo a somar... Estaremos aí ou aqui para acertar contas com as brevidades possíveis, com as saudades inevitáveis =) ... Beijinhos voadores

Strigo disse...

Com a tua retórica na escrita, acho que devias arriscar escrever um livro. Quem sabe...talvez um dia te abra o céu para outros vôos. :)